Arranjo Geral do Pátio

A elaboração do Arranjo Geral doPátio, também conhecido como Arranjo Físico, de uma subestação é a verdadeiraconcepção de como será construída esta subestação. Podemos dizer que é a suaconcepção arquitetônica. A definição do Arranjo Físico norteará todos os demaisitens de projeto tanto eletromecânicos quanto civis. Nele são considerados osbarramentos nos diversos níveis de tensão; suas posições relativas; a disposiçãodas diversas células de entrada de linha, de transformadores de força, dereatores, bancos de capacitores e demais componentes da subestação; a posição decada equipamento do pátio e do edifício de comando, das casas de relés, dos gruposgeradores de emergência, dos transformadores de serviços auxiliares, doscubículos de média tensão etc.

São também consideradas asdistâncias elétricas entre fases dos barramentos, as distâncias de segurança, amovimentação dos veículos de manutenção, a entrada e saída de equipamentos degrande porte como transformadores, autotransformadores, reatores e motoressíncronos.

As macro-dimensões das estruturasque comportarão os barramentos e os equipamentos, também são estabelecidasnesta fase do projeto.

Também são consideradas,preliminarmente, as possibilidades dos caminhamentos de cabos de controle eforça entre equipamentos e painéis de proteção e comando.

Em geral o Arranjo Físico éconstituído por plantas, cortes e listas de materiais, chamada de listas demateriais de barramentos, em número adequado a cada subestação.

A ESC tem como norma a discussãocom o Cliente e o recebimento da aprovação do Projeto de Arranjo Físico para darinício a elaboração dos demais itens de projeto da subestação a fim de evitarerros e retrabalhos que impactarão o desenvolvimento da obra.